A MTV estreou no Brasil há 30 anos e foi responsável por lançar grandes nomes da TV no país, como Zeca Camargo, Astrid Fontenelle e Cazé Peçanha. Apesar de ter encerrado seus trabalhos no sinal aberto em 2013, quando o Grupo Abril devolveu a marca à Viacom,  em sua nova fase,  o canal ainda tem certa influência em programas da TV fechada e na internet.

Os chamados VJs seguiram caminhos diferentes e também se envolveram em polêmicas ao longo dessas três décadas. Houve quem discutisse com outros artistas, teve quem enfrentou câncer e há quem se posicionou politicamente, brigando ao vivo em programa de rádio.

Confira:

Luiz Thunderbird

Com 59 anos, Luiz estreou na televisão comandando o programa LadoB. Em seguida, esteve à frente dos programas Rockblocks, Top 10 EUA, Ponto Zero e 121 Minutos. Em 1992, ficou responsável pelo sucesso CEP MTV e TV Colosso, fechando contrato com a Globo.

Na emissora carioca, apresentou o Hollywood Rock, o Carnaval da Globo 94, o programa TV Zona e um quadro no Fantástico. Em 1996, voltou para a MTV e seguiu por lá até o ano seguinte, quando fechou com a TV Manchete. Porém, como todo bom filho a casa torna, ele retornou para o antigo canal 25.

Conhecido pelo bordão “se é que você me entende”, hoje ele faz parte da banda Devotos de Nossa Senhora Aparecida e apresenta o podcast Thunder Radio Show na Central 3. Também é responsável pelo canal Music Thunder Vision no YouTube

MariMoon

Com 38 anos, MariMoon nunca escondeu que era uma pessoa autêntica, tanto que criou seu próprio apelido na época de escola. “Sempre estudei com umas cinco Marianas. Queria um nome só meu”, relatou. Seu sucesso começou em 2003 e ganhou o título de “primeira celebridade da internet no Brasil”.

Ela chegou na MTV em 2008 e permaneceu no canal até 2013. Depois do fim da emissora na TV aberta, passou por outras emissoras e faz parte do Grupo Globo desde 2015, sendo responsável pelas apresentações do Rock in Rio e Lollapalooza, além de ter sido repórter do Vídeo Show.

Ela namorou Rafael Queiroga durante três anos – eles terminaram em 2011 – e a apresentadora é bissexual assumida. A revelação ocorreu durante uma entrevista para o programa Pânico na Band.

Há dez anos, MariMoon se envolveu numa polêmica com o cantor Jared Leto. Ele não quis dar entrevista porque a influencer tinha feito um comentário no Twitter sobre uma fã brasileira que o cantor xingou em um show. “Uma pessoa que xinga, joga água e desrespeita fã não merece ser ídolo de ninguém”, disparou a comunicadora na época.

Penélope Nova

Com 47 anos, Penélope chegou à MTV Brasil em 1997 e fez muito sucesso no canal. Ela saiu da emissora em 2011 por conta da crise financeira que a Abril enfrentava e fechou contrato com a Record, sendo participante da quinta temporada de A Fazenda. Na ocasião, arranjou inimizade com Gretchen.

A rainha do bumbum acusou Penélope de usar um equipamento dela. Sete anos depois, através da sua conta do Twitter, a apresentadora se defendeu. “Gente, eu não peguei. Eu tinha um acelerador igual ao dela. E ela sabia. Mas tudo bem… Valeu o meme”, comentou.

Recentemente, Penélope foi jurada do Canta Comigo e agora faz parte do júri da versão Teen, quadro do Hora do Faro. Sem muito espaço na TV, a comunicadora apresenta o P & Ponto, transmitida na internet.

Max Fivelinha

Max tem 58 anos e sua história chama muito atenção, já que ele começou como assistente de maquiagem na MTV e depois foi chamado por Cazé Peçanha para avaliar as roupas dos candidatos do programa Dia Verão. Por causa do seu carisma, se tornou jurado permanente.

Como sempre usava fivelas, Cazé passou a chamá-lo de Max Fivelinha, tornando-se não apenas um apelido carinhoso, mas sua marca. Ele ainda participou dos programas Gordo a Go-Go, Em Busca da Fama e Ilha das Favelas. O rapaz deixou o canal em 2003 e seguiu na vida artística até 2011.

Hoje ele vive uma vida simples cuidando de plantas e animais. “Aquele luxo e sucesso todo que eu vivi, sempre achei que não era meu. Foi muito difícil largar uma profissão onde eu era topíssimo como maquiador para virar apresentador, eu era muito querido porque fazia cabelo e maquiagem e tinha muito trabalho e a gente ganhava muito bem”, contou neste ano em entrevista para a jornalista Lisa Gomes.

Zeca Camargo

Com 57 anos, Zeca Camargo ficou seis anos na MTV e depois se transferiu para Globo. Na emissora carioca, apresentou o primeiro reality show da história da TV brasileira, No Limite, depois comandou o Fantástico, passando pelo Vídeo Show e o É de Casa. Atualmente, o jornalista é diretor de conteúdo da Band.

Ao longo da sua carreira, Zeca se envolveu em algumas polêmicas. Dentre elas, o comunicador fez uma declaração polêmica na GloboNews em 2015 ao narrar uma crônica em que afirma que não sabia quem era Cristiane Araújo e o motivo de tamanha comoção em torno da morte do rapaz.

Astrid Fontenelle

Com 59 anos, Astrid iniciou sua carreira como estagiária em uma assessoria de imprensa, chegando a apresentar o Hollywood Rock na Globo na década de 1980. Fechou contrato com a MTV e foi a primeira apresentadora do canal, tornando-se um símbolo da TV brasileira. “Oi, eu sou Astrid e é com o maior prazer que eu estou aqui para anunciar para vocês que está no ar a MTV Brasil!”, relatou na época.

Ela seguiu na emissora até 1999 e fechou contrato com a Band. Desde 2009, Astrid assinou com o Grupo Globo e faz parte do casting da GNT. Atualmente, a comunicadora é responsável pelo Saia Justa.

Ao longo da vida, Fontenelle não fugiu de dar suas opiniões e se envolveu em polêmica ao entrevistar o cantor Supla. Ela questionou se era o avô que montava o figurino dele, irritando-o profundamente. Astrid também bateu boca com Roger, do Ultraje a Rigor, sendo chamada de “mau caráter”.

“Mau caráter. Depois de incitar o ódio e o linchamento moral no seu programinha de fofocas vem dar de santa! ‘Que eu leve o perdão’… Esquerda caviar hipócrita. Nojo”, disparou. “Basta que ela se retrate da asneira que disse na TV”, completou.

Edgard Piccoli

Com 55 anos, Edgard já foi considerado um símbolo de beleza dos jovens brasileiros na década de 1990. Ele chegou na MTV em 1995, comandando o programa Palco. Ficou por lá até 2004, quando assinou contrato com o Multishow e seguiu no Grupo Globo até 2010.

No mesmo ano, fechou acordo com a Band e apresentou o Busão do Brasil. Por causa do fracasso do reality show, deixou a emissora e logo assumiu o comando do Morning Show, da Jovem Pan. NA atração de rádio, se envolveu em algumas polêmicas, como com Caio Coppolla.

Com ideologias mais próximas da esquerda, Edgard nunca escondeu sua insatisfação com as opiniões de Caio. “Essa exposição do Brasil dividido politicamente, de enfrentamentos movidos por uma não tolerância do pensamento divergente, acaba reduzindo o debate a essa guerra que vemos hoje. É um aprendizado duro. Estou inserido num contexto em que os haters odeiam nas mídias sociais e você é muitas vezes rotulado à revelia da sua verdade”, disse o apresentador em entrevista ao UOL.

Marina Person

Com 51 anos, Marina estreou na MTV em 1995 e seguiu por lá até 2010. Por causa da crise do Grupo Abril, deixou a emissora e logo assinou contrato com a TV Cultura. Ficou na emissora até 2015 e depois se transferiu para a Arte 1, comandando o programa Magazine.

Cineasta e atriz, fez alguns trabalhos no cinema e costuma dar seus pitacos sobre o mundo da dramaturgia. Neste ano, ela se envolveu em polêmica com a comunidade LGBTQI+. Em um docudrama, a artista investigou o grupo na festa Fejão e foi massacrada pela abordagem, chamando-a de “insensível”, “desrespeitoso” e “transfóbico”.

“Escolhi a festa Fejão porque de tudo que vi na pesquisa sobre esse universo drag, a Fejão parecia a festa mais democrática, o ingresso é barato, tinha pessoas de muitas origens, muitos tipos – não eram só drag queens, eram drag queers, drag kings – muitas idades. Me pareceu a festa mais inclusiva e mais diversificada”, explicou na época.

Sabrina Parlatore

Com 45 anos, Sabrina ficou na MTV de 1995 até 2000. Considerada uma das grandes promessas da emissora, fechou com a Band e virou repórter do Show do Esporte. Logo ganhou espaço e se tornou apresentadora do Território Livre. Seguiu na profissão até 2014 e depois apareceu na TV como participante do Popstar em 2017.

Em 2015, Sabrina foi diagnosticada com câncer de mama e deu uma entrevista para o programa Morning Show. “Graças a Deus, foi em estágio inicial. Resolvi esperar o tratamento todo para poder falar, porque estava muito fragilizada. Então, agora tenho mais condições de falar e poder refletir. E, principalmente, ajudar as pessoas. No início, não queria falar, porque era uma coisa íntima. Pensei que seria a mesma coisa de ter uma micose no pé e falar ‘oi, estou com uma micose’. Por que, né? Eu senti uma necessidade e até um dever meu como figura pública em dividir essa experiência com todas as mulheres e alertar para importância do diagnóstico precoce, dos exames preventivos todos os anos a partir de certa idade. Deu tudo certo”, relatou em 2016.

Cazé Peçanha

Cazé, de 52 anos, esteve na MTV em duas ocasiões, entre 1995 e 2000 e depois de 2002 até 2012, destacando-se por seu comando no programa Teleguiado. Teve uma rápida passagem pela Globo, comandado a atração Sociedade Anônima, nas noites de domingo, mas acabou fracassando.

Em 2007, recebeu o convite para apresentar o CQC (2008-2015), mas rejeitou, optando seguir na MTV. Em 2012, fechou contrato com a Band e apresentou A Liga (2012-2016). Também passou pelo National Geographic e também o Show do MEI, dominical sobre microempreendedores.

Em 2013, em entrevista para Revista Sexy, o apresentador revelou que havia uso excessivo de maconha nos bastidores da MTV. “Com certeza a MTV fumou mais maconha que o Bob Marley. Ali todo mundo queimava. Tem várias histórias”, comentou bem humorado.

Gastão

Com 53 anos, Gastão assinou contrato com a MTV em 1990 e seguiu na emissora até 1998. Lá no canal, fez sucesso nos programas Fúria Metal (1990-2000) e Gás Total (1991-1998). Ele passou pela TV Cultura, mas a partir de 2004 se dedicou para a banda Kratera.

Atualmente, é responsável pelo canal no YouTube, o Kazagastão, em conjunto com o cantor Clemente Nascimento. Os dois relatam histórias de grandes bandas de rock. O apresentador também tem um programa na rádio Kiss FM, chamado Gasômetro.

Fonte: UOL
Foto: Montagem