Durante a pandemia, o resort Dom Pedro Laguna, em Aquiraz (CE), lançou um pacote que irá interessar pessoas que queiram viajar no Brasil e praticar o turismo de isolamento. A partir de agora, grupos de turistas têm a chance de alugar o estabelecimento hoteleiro inteiro e, assim, curtir sua infraestrutura sem a presença de outros viajantes.

 

 

Efeito Covid-19

A diária, logicamente, não é barata: custa a partir de R$ 85 mil* (mais 10% de taxas) com estadia mínima de duas noites. Mas dá direito à utilização de 100 quartos do resort, que podem ser ocupados por até 200 pessoas.

Na estadia, os hóspedes usufruem com exclusividade de dois restaurantes (com alimentação inclusa), piscinas, serviço de quarto 24 horas, academia, jacuzzi, quadras de tênis, espaço de entretenimento infantil com monitores e serviço de transporte diário até Fortaleza (que fica a cerca de 30 quilômetros de Aquiraz).

Para servi-los, há uma equipe composta por profissionais como recepcionistas, garçons, barmen, monitores, camareiros e mensageiros. Além disso, o estabelecimento fica de frente para a praia. Suas acomodações, por sua vez, encontram-se rodeadas por uma lagoa artificial navegável

“Com a situação da pandemia, chegamos à conclusão de que os turistas teriam maior sensação de segurança ao ocupar o hotel com exclusividade. Somos um resort boutique de pequenas dimensões, propício para este tipo de serviço”, diz Pedro Ribeiro, diretor de vendas e marketing do Dom Pedro Laguna. Um lagoa artificial navegável circunda os bangalôs e quartos.

Grupos de pessoas celebrando eventos familiares (como casamentos), grandes turmas de amigos viajantes em busca de privacidade e encontros corporativos estão entre os alvos da iniciativa. “Mas pode acontecer que apenas uma família ou um pequeno grupo de amigos queira ficar no hotel com exclusividade. O aluguel pode ser feito por uma ou até 200 pessoas”, explica Ribeiro.

Meia-pensão ou tudo incluído

O aluguel exclusivo do Dom Pedro Laguna possui dois formatos. Um deles tem diárias custando a partir de R$ 85 mil (mais 10% de taxas) e dá aos hóspedes direito a um regime de meia-pensão, que inclui café da manhã, chá da tarde e jantar (sem bebidas).

Já o sistema all inclusive dá direito a café da manhã, almoço, snacks na piscina, chá da tarde, jantar e bebidas alcoólicas e não alcoólicas (e suas diárias custam a partir de R$ 110 mil mais 10% de taxas). Em ambos os casos, a estadia mínima é de duas noites.

O professor e ator carioca Leonardo Miranda se hospedou recentemente no Dom Pedro Laguna no sistema all inclusive, como parte de um grupo corporativo que alugou o resort de maneira exclusiva. Para ele, trata-se de um tipo de hospedagem que apresenta diversas novidades.”Estávamos entre pessoas conhecidas o tempo todo e não havia aquela programação de entretenimento ostensiva que existe em resorts ocupados por diferentes grupos de turistas”, diz.

Segundo Leonardo, foi uma experiência de hospedagem “mais tranquila”, em que os adultos e crianças podiam aproveitar espaços como piscina e quadras esportivas sem aglomerações (algo recomendado nestes tempos de covid-19). “Nós tínhamos espaço de sobra para relaxar. E, nos restaurantes, também não havia fila ou confusão, o que é maravilhoso. Todo o serviço do resort estava muito mais ágil”.

Outros espaços hoteleiros exclusivos

Há outros estabelecimentos hoteleiros no Brasil que, durante a pandemia, estão oferecendo o aluguel exclusivo de grandes áreas dentro de suas estruturas, que propiciam uma viagem com mais isolamento social. Localizado em Foz do Iguaçu (PR), por exemplo, o Belmond Hotel das Cataratas tem um pacote que permite o aluguel exclusivo e simultâneo de três de suas suítes, onde os hóspedes encontram piscinas privativas e um lounge equipado com jogos de tabuleiro e cartas, videogame e TV.

Este espaço tem capacidade máxima para seis adultos e duas crianças — e a estadia custa a partir de R$ 16.371 (mais 15,5% de taxas) para três noites (e inclui café da manhã, piquenique e caminhada diurna guiada pela área das cataratas). Já o Copacabana Palace, que reabriu as portas no último dia 20 de agosto, após meses fechado por causa da pandemia, está permitindo que todo o sexto andar de seu edifício seja alugado de maneira exclusiva por um grupo de hóspedes para um isolamento de luxo.

Neste piso do icônico hotel carioca, os clientes podem usufruir de quatro suítes com terraço e vista para o mar, um lounge para as refeições e uma piscina. O aluguel de todo este espaço custa R$ 60 mil (mais 15,5% de taxas). O preço dá direito a três noites de hospedagem e à presença de até oito adultos e quatro crianças.

 

 

Fonte: UOL
Foto: Divulgação